Primeiro-ministro de Israel recebeu profecia de pastor

27 FEV 2017
27 de Fevereiro de 2017

Benjamin Netanyahu tem sido vítima de uma série de críticas por não ceder às pressões internacionais que desejam impedir novos assentamentos na Judeia e Samaria. Com o número crescente de judeus voltando para Israel a cada ano, a necessidade de novos locais de moradia continuam crescendo e os palestinos não ocuparam essas terras.

Após a reunião de Paris, onde representantes de 70 países assinaram um documento pedindo pela retomada das negociações de paz com os palestinos, a imprensa internacional reconheceu que o poder político de Netanyahu continua em alta, apesar da campanha contínua contra ele feita por Obama.

Esta semana, um vídeo gravado no ano passado voltou a ser notícia. O pastor Jonathan Cahn, um rabino messiânico conhecido pelo seu estudo das profecias referentes a Israel foi entrevistado no programa do pastor Jim Bakker Show, exibido na TV a cabo americana e pela internet.

Cahn contou que durante seu primeiro mandato, entre 1996 e 1998, Netanyahu, que sempre foi amigo dos evangélicos, recebeu uma profecia do pastor africano Robert Mawire durante uma visita aos EUA. O aviso, que seria da parte de Deus, era para que ele não cedesse nenhuma parte da Terra Santa. Se o fizesse, Deus o tiraria da sua posição de liderança.

Segundo o pastor Cahn, o primeiro-ministro riu e não levou a sério. Na época, o então presidente Bill Clinton pressionou Netanyahu a entregar algumas porções de terra para o líder da OLP, Yasser Arafat. Pouco tempo depois, o governo de Benjamin enfrentou sérios problemas e ele foi afastado do poder antes do término de seu mandato.

Uma das pessoas que testemunhou a profecia foi Ariel Sharon, que mais tarde se tornaria primeiro-ministro e também cedeu terreno aos palestinos em nome da paz, que nunca veio, e perdeu o cargo.

Anos mais tarde, Netanyahu visitou os EUA novamente e encontrou-se com o mesmo pastor, que lhe disse: “Eu tenho outra palavra”. Desta vez, o político israelense teria levado a sério as palavras do líder cristão. A mensagem entregue foi: “Você voltará a ser primeiro-ministro de Israel. Se você honrar o seu pacto que fiz com Abraão, Isque e Jacó, em relação a Israel, vou honrá-lo e exaltá-lo. Mas se você ignorar a sua aliança e entregar a sua terra, vou desonrar você”.

Além disso, alertou que Netanyahu seria premiê novamente “em um momento crítico da história” e seria sob seu governo que Deus iria restaurar “o tabernáculo de Davi”, numa referência ao Terceiro Templo.

Empossado primeiro-ministro novamente em 2009, o fato é que Benjamin Netanyahu nunca mais cedeu território judeu. Ele já entrou para a história de Israel como a pessoa a ocupar o cargo por mais tempo. Oficialmente ele nunca falou sobre essa profecia, mas seu governo já reiterou que continuará realizando assentamentos e que não abriria mão de “uma polegada sequer” da terra dada a eles por Deus.

Sua proximidade com Donald Trump fez com que ele declarasse nos últimos dias que Israel está prestes a viver um novo tempo, apesar de toda a pressão internacional para que a Palestina seja reconhecida como uma nação independente.

Se isso ocorrer, Jerusalém Oriental seria declarada capital dos palestinos. As decisões recentes da ONU, rejeitadas por Israel, forçariam os judeus a entregar definitivamente o monte do Templo à Autoridade Palestina, o que para muitos especialistas marcaria o início de uma nova guerra.


Voltar