Na ONU, palestino convertido ao Evangelho desmascara farsa de países árabes contra Israel

20 DEZ 2017
20 de Dezembro de 2017

O reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel da parte dos Estados Unidos funcionou para revitalizar o interesse público por um vídeo que circula nas redes sociais, mostrando o depoimento de um palestino durante um encontro do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas, em que ele denuncia a hipocrisia das nações árabes e dos próprios representantes da Autoridade Palestina.

O depoimento de Mosab Hassan Yousef em uma reunião da UN Watch (entidade não-governamental sediada em Genebra, na Suíça, ligada à Organização das Nações Unidas) sobre a situação dos Direitos Humanos na Palestina deixou uma série de delegados representantes de países árabes e de outras nações aliadas, como a Venezuela, por exemplo, atônitos.

A reunião aconteceu no último dia 25 de setembro de 2017, e o ambiente articulado pelos países árabes, que pretendiam votar uma resolução contra Israel, terminou por ser contrariado. Yousef é palestino, filho de um dos fundadores do Hamas (organização terrorista que se transformou em partido político) e hoje é convertido ao Evangelho.

Em 2010, ele publicou um livro em que conta seu testemunho de conversão e suas histórias de vida como militante do Hamas e agente duplo a serviço da Inteligência de Israel. Na ocasião, chocou ao mundo ao revelar detalhes da crueldade que os militantes palestinos cometiam contra seu próprio povo.

Agora, o vídeo com suas declarações na reunião da UN Watch e a reação de perplexidade dos representantes árabes em um ambiente em que, supostamente, não haveria oposição, voltou a circular com força nas redes sociais por conta do estardalhaço feito pela grande mídia em torno do reconhecimento do presidente Donald Trump de Jerusalém como capital de Israel.


Voltar